Declaração do CEPS-BR sobre os 56 anos dos trabalhos de KIM JONG IL no Partido do Trabalho da Coreia

Discurso lido na reunião online promovida pela Associação de Amizade com a Coreia do Reino Unido em razão do 56º aniversário do início das atividades de KIM JONG IL no Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia

19 de junho de 2020

Respeitados camaradas,

Continuar lendo “Declaração do CEPS-BR sobre os 56 anos dos trabalhos de KIM JONG IL no Partido do Trabalho da Coreia”

Exposição virtual homenageia Kim Jong Il da Coreia Socialista

O dia de hoje, 19 de junho, marca o 56º aniversário do início dos trabalhos do camarada Kim Jong Il no Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia.

Por essa razão, o Centro de Estudos da Política Songun do Brasil, em parceria com o site Conheça Coreia, e contando com o acervo cedido pela Editoras de Línguas Estrangeiras da RPDC, lança a exposição virtual de fotografias “Eterno Secretário Geral do Partido do Trabalho da Coreia”.

Você pode acessar a exposição virtual clicando aqui.

Continuar lendo “Exposição virtual homenageia Kim Jong Il da Coreia Socialista”

27 anos da eleição de KIM JONG IL para o Comitê de Defesa Nacional

Há 27 anos, em 9 de abril de 1993, o General Kim Jong Il foi eleito para a presidência do Comitê de Defesa Nacional da República Popular Democrática da Coreia, o mais alto cargo do país na época.

Sua chegada ao comando da Revolução Coreana marcou uma página de virada na história da Coreia.

Continuar lendo “27 anos da eleição de KIM JONG IL para o Comitê de Defesa Nacional”

Máximo Dirigente KIM JONG UN visitou o Palácio do Sol Kumsusan

Kim Jong Un, Presidente do Partido do Trabalho da Coreia e da Comissão de Assuntos Estatais da República Popular Democrática da Coreia e Comandante Supremo das Forças Armadas da RPDC, prestou homenagem ao Dirigente Kim Jong Il no Palácio do Sol Kumsusan, na ocasião do Dia da Estrela-Luz.

Acompanharam-lhe neste visita Choe Ryong Hae, membro do Presidium do BP do CC do PTC, primeiro vice-presidente da CAE da RPDC e presidente do Presidium da Assembleia Popular Suprema da RPDC, e Pak Pong Ju, membro do Presidium do BP do CC do PTC e vice-presidente da CAE da RPDC e do CC do PTC.

0102

Estiveram presentes também Kim Jae Ryong, membro do BP do CC do PTC e da CAE e Primeiro-Ministro da RPDC, e outros integrantes do BP do CC do PTC.

Foi depositado diante das estatuas do Presidente Kim Il Sung e do Dirigente Kim Jong Il um cesto de flores dedicado pelo Líder Supremo.

Foram colocados também os cestos florais em nome do CC do PTC, da CAE da RPDC, do Presidium da APS e do Conselho de Ministros da RPDC.

Junto com os participantes, o Líder Supremo rendeu homenagem aos Grandes Líderes antecessores diante de suas estátuas.

No salão da eternidade onde está conservado o corpo do Dirigente, Kim Jong Un repetiu a homenagem ao líder predecessor.

________________
De KCNA
(Tradução de KFA – Brasil)

78 anos do nascimento do General KIM JONG IL

Há 78 anos, nessa cabana no acampamento secreto do Monte Paektu, durante a luta de libertação nacional da Coreia, nascia o camarada Kim Jong Il.

O revolucionário coreano nasceu em 16 de fevereiro de 1942 quando seu pai, o General Kim Il Sung, conduzia a guerrilha contra a ocupação colonial do Japão na Coreia.

Filho das guerrilhas, Kim Jong Il desde sua infância esteve inserido na atividade política de seu país, presenciando momentos históricos de grande importância. Sempre foi um fiel seguidor do Presidente Kim Il Sung e foi o responsável pelo desenvolvimento e aperfeiçoamento da Ideia Juche para a Ideia Songun.

Nos anos 1990, conduziu a República Popular Democrática da Coreia com maestria e frustrou os planos dos EUA de sufocar e atacar o país, criando uma Coreia dotada de poderosas armas nucleares estratégicas e mantendo o vigor revolucionário em alta mesmo sob pesadas situações internas e externas.

Jamais abandonou a causa revolucionária do Juche e dedicou toda sua vida ao povo, trabalhando arduamente em visitas de campo a fábricas, escolas, unidades militares e fazendas coletivas, percorrendo milhares de quilômetros por toda a Coreia.

No dia de hoje, celebramos os 78 anos de nascimento do Eterno Dirigente Kim Jong Il, grande patriota e líder revolucionário da Coreia que fez avançar a Revolução, salvaguardando a soberania nacional e apoiando ativamente movimentos de libertação pelo mundo.

VIVA OS 78 ANOS DO CAMARADA KIM JONG IL!

86496850_954766698269827_3592337833517383680_n

 

A estrela-luz do Monte Paektu

No próximo dia 17 de dezembro completa-se oito anos desde o falecimento do Dirigente Kim Jong Il, eterno Secretário-Geral do Partido do Trabalho da Coreia e Presidente da Comissão de Defesa Nacional da República Popular Democrática da Coreia.

Com a aproximação da data, pensamentos e recordações sobre o grande homem que nasceu na montanha sagrada da revolução coreana e dedicou toda sua vida em aras do povo, partido e revolução como fidedigno soldado do Presidente Kim Il Sung veem à mente do povo coreano e de todos demais povos que lutam pela paz, liberdade e progresso.

Exaltado como líder destacado capaz de lidar com qualquer questão que se apresente e superar até os desafios mais complexos, o Dirigente jamais desviou-se, nem por um instante, do caminho traçado pelo Presidente Kim Il Sung e levou uma vida digna em meio ao povo dividindo com eles as alegrias e adversidades, ouvindo suas opiniões e atendendo às suas demandas.

Tendo assumido com firme determinação a responsabilidade de levar adiante a Revolução Coreana iniciada nas densas florestas de Paektu, o Dirigente dedicou grandes esforços a desenvolver seus conhecimentos nas mais amplas áreas com vista a cumprir devidamente seu papel de liderança e fazer a Coreia Juche alcançar novos progressos e estabelecer sua posição estratégica ante ao mundo em constante mudança.

Auxiliou o Presidente nas atividades estatais, desgastando-se rotineiramente para preservar a saúde do grande Líder e conceder-lhe tempo para que escrevesse suas memórias e se reunisse com figuras estrangeiras e coreanos residentes no exterior. Ademais, demonstrou plenamente sua capacidade diretiva entre os anos 70 e 80, ganhando máxima confiança da população, militantes do partido e militares como grande sucessor de capacidade extraordinária.

Quando os ventos contrários sopraram forte e a nuvem negra da guerra pairou sob a Península Coreana nos momentos difíceis em que o povo lamentava o falecimento do Líder, o bloco socialista desmoronava, desastres naturais ocorriam em sucessão e a o bloqueio e pressão das forças hostis se tornavam mais intensas, empreendeu uma contínua marcha forçada em meio às massas para as estimular a superar as condições adversas e construir um futuro próspero.

Com sua liderança Songun posta em plena prática, a RPDC apresentou-se, após a situação adversa na Marcha Árdua, como potência militar emergente com grande capacidade dissuasória. Além disso, sua política externa que reforça o lema de respeito à soberania, benefício mútuo e amizade mostrou-se capaz de manter o país na arena internacional com plena dignidade frente à conjuntura política internacional do novo século.

Graças a seus esforços abnegados, as relações inter-coreanas deram seus primeiros passos no caminho da reconciliação e reunificação após longo período de hostilidade entre as partes, a vida material e cultural do povo obteve progresso, a capacidade de lançamento de mísseis e satélites foram desenvolvidas, as armas nucleares desenvolvidas e testadas com sucesso, dentre outras façanhas realizadas pelo Dirigente que, se posta de forma mais detalhada, caberia em livros de centenas de páginas.

Sua partida repentina em dezembro de 2011 causou grande tristeza ao povo coreano e aos povos progressistas do mundo. Naqueles dias frios de inverno, o luto tomou conta de todo o país por várias semanas e comoveu o mundo.

Embora tenha falecido, o Dirigente segue vivo nas mentes e corações do povo coreano e sua incansável direção sob a revolução trás hoje os frutos imperecíveis logrados sob a liderança do Máximo Dirigente Kim Jong Un que concede grande importância ao cumprimento dos legados dos grandes líderes.

A transformação da cidade de Samjiyon (anteriormente, condado), terra-natal do Dirigente, como modelo de região montanhosa civilizada socialista, a finalização da obra do dique Phalhyang da Central Hidrelétrica Orangchon, ademais da visita aos locais de batalha revolucionária de Paektu, demonstram patentemente a firme vontade do Máximo Dirigente de levar adiante o legado do Dirigente.

Como se vê, mesmo passado oito anos de seu falecimento, o Dirigente Kim Jong Il segue sendo recordado a todo momento e está presente em todo o país com suas indeléveis marcas deixadas em aras do povo, país, revolução e socialismo.

____________________

Do blog A Voz do Povo de 1945

1-1

6 anos sem KIM JONG IL (Tributo do CEPS-BR)

Hoje se completam 6 anos de falecimento do revolucionário coreano Kim  Jong Il.

Mas quem foi Kim Jong Il?

Propositalmente ignorado por grande parte da esquerda e odiado pelos patrões do mundo, principalmente pelo imperialismo norte-americano, Kim Jong Il foi o líder da Coreia por quase 20 anos e foi o comandante de um vigoroso momento da Revolução Coreana. Kim Jong Il nasceu em 1942, aos pés do lendário Monte Paektusan, onde Kim Il Sung, seu pai, estava na época secretamente organizando um gigantesco exército para libertar a Coreia da colonização japonesa. Kim Jong Il nasceu do casamento entre Kim Il Sung e Kim Jong Suk. Kim Jong Suk foi uma grande revolucionária coreana, responsável por vitórias imensas do Exército Popular Revolucionário da Coreia e grande estrategista militar, além de corajosa mulher engajada na emancipação feminina na Coreia. Kim Il Sung dispensa comentários: é o Pai da Coreia, o fundador da Coreia livre e socialista, líder da Revolução Coreana, libertador da Coreia das mãos do Japão e dos Estados Unidos. Sendo filho dessas duas figuras lendárias, Kim Jong Il não tinha como ser outra coisa além de um fruto próspero da Revolução.

Nascido no meio da guerra pela libertação do seu país, Kim Jong Il desde muito cedo sempre acompanhou seus pais e os mártires revolucionários. Sempre esteve envolvido na construção de uma Coreia livre e socialista. Em 1994, com o falecimento do Presidente Kim Il Sung, chegou ao cargo de líder da Coreia. Em meio à uma terrível conjuntura de crise econômica, desastres naturais que arruinaram a produção e um bloqueio político, econômico e militar maligno por parte dos Estados Unidos, Kim Jong Il não recuou um só milímetro na determinação revolucionária do povo coreano, guiando a Coreia por meio da tempestade rumo à luz e ao progresso. Não se vendeu, não se amedrontou, não se acovardou. Aguentou, junto ao seu povo, momentos de grande dificuldade, sem jamais deixar os ideais da Revolução caírem.

2014-06-19-01-01

Foi o arquiteto da Revolução Songun, a revolução dentro da Revolução Coreana que colocou os militares como classe revolucionária condutora da nação, o que permitiu a Coreia se defender heroicamente contra o mais forte e agressor dos países: os Estados Unidos. Incentivou como nunca o avanço militar e técnico da Coreia, plantando a semente e, ainda em vida, colhendo os frutos de um poderoso programa nuclear, balístico e espacial. Graças à Kim Jong Il, a Coreia, dentro do curto espaço de 20 anos, se tornou uma nação capaz de lançar mísseis, satélites e testar bombas atômicas poderosas. Ainda hoje vemos diante de nós os resultados de seus esforços: nesse ano de 2017, a Coreia Socialista tornou-se detentora e produtora de mísseis balísticos que podem atingir qualquer ponto do planeta e carregar dentro de si poderosas bombas de hidrogênio. Tudo isso baseado no ideal de Kim Jong Il de autodeterminação e produção totalmente nacional dos instrumentos necessários para a defesa da Revolução.

Kim Jong Il também não foi somente um líder militar. Esteve ao lado do seu povo, liderando e pessoalmente planejando um verdadeiro paraíso para os trabalhadores: em sua época, edificaram-se prédios de apartamentos populares belíssimos, além de construções diversas para usos públicos, barragens, fábricas, hidrelétricas, escolas, hospitais, unidades militares, cidades, ruas, bairros! Suas rigorosas inspeções às fábricas, hospitais, escolas e instalações de produção aperfeiçoaram a vida pública na Coreia, fazendo a qualidade de vida crescer consideravelmente após um duro período de crescimento negativo, fome e perdas drásticas nos anos 1990.

10645063_1006843642720921_5942914929570948184_n

O Dirigente Kim Jong Il também foi um grande amigo dos povos do mundo. Estreitou e criou ainda mais laços de amizade com países que seguem na luta contra o imperialismo norte-americano e pela construção de um mundo pacífico e socialista. Ele foi o terror dos estadunidenses e seus lacaios, golpeando diariamente as intenções agressivas dos Estados Unidos de destruírem a Coreia e sua Revolução Comunista. Foi um soldado do Presidente Kim Il Sung, levando adiante a construção socialista e sendo a esperança do povo.

Faleceu o homem em um 17 de dezembro de 2011, um dia em que os céus choraram junto ao povo da Coreia, fazendo cair neve, pintando de cinza e branco a nação coreana, como que em luto pela perda de um grande homem, estendendo sobre as ruas um tapete branco por onde passou o cortejo fúnebre que arrancava dos coreanos tristes lágrimas. Um dos momentos mais emocionantes dos seus funerais foi quando da chegada do caixão ao Palácio do Sol, sua última morada. O povo rompeu os cordões de isolamento e cercou o carro que carregava o corpo do Líder, dizendo, em meio ao choro: “Onde está indo, General? Não se vá, General, nos lidere adiante!”.

Mas o povo coreano é invencível. Seus líderes são a imagem de seu povo. E como tal, o povo coreano se reergueu heroicamente. Graças à corajosa liderança do Marechal Kim Jong Un, filho de Kim Jong Il, o povo coreano continuou sua incontrolável marcha rumo ao socialismo. Apenas um ano depois, a Coreia já estava lançando novamente satélites ao espaço e escrevendo história ao avançar em sua economia e política, chegando hoje ao status de um dos países do mundo que mais cresce e se moderniza, graças ao estilo socialista coreano!

Há 6 anos perdíamos fisicamente Kim Jong Il. Porém, ele está vivo nos corações dos coreanos e de todos os trabalhadores do mundo que anseiam por liberdade, por um país onde o destino seja decidido pela força popular e também é lembrado por todos aqueles que se colocam de pé diante das ameaças e maquinações do imperialismo dos Estados Unidos. Morreu e transformou-se em lenda. É hoje lembrado em estátuas, pinturas e outras manifestações sinceras do povo da Coreia para ser eternamente marcado na História.

DIRIGENTE KIM JONG IL, PRESENTE! VIVA A REVOLUÇÃO COREANA E SEUS CORAJOSOS LÍDERES! GLÓRIAS À COREIA SOCIALISTA!

MANSE!!!

_____________________
Lucas Rubio

Presidente do Centro de Estudos da Política Songun – Brasil.

1.fw