Partido do Trabalho da Coreia: 76 anos de uma organização revolucionária ímpar

Por Lucas Rubio, Presidente do CEPS-BR

76 anos de fundação do Partido do Trabalho da Coreia reacende a luz de uma organização sem comparação nos dias atuais

O dia 10 de outubro de 2021 marca o 76º aniversário de fundação do Partido do Trabalho da Coreia (PTC), o partido dirigente e vanguarda da Revolução Coreana. Nesse mesmo dia, em 1945, o Presidente Kim Il Sung unificou vários movimentos e grupos políticos revolucionários ao entorno de uma única organização que receberia esse nome – Partido do Trabalho da Coreia.

Em Pyongyang, capital da RPDC, existe um belo monumento chamado “Monumento à Fundação do PTC”. Ele consiste de um conjunto de três braços de pedra que seguram uma foice, um martelo e um pincel. Um anel une esses três braços e nele está escrito “Viva o Partido do Trabalho da Coreia – o organizador de todas as vitórias do povo coreano!”. Nenhuma outra frase poderia ser mais adequada para expressar o significado central do PTC, uma organização sem comparações no mundo de hoje.

Presidente Kim Il Sung em reuniões do PTC (décadas de 1940 e 1950)

Desde sua fundação, o PTC encarnou em si de modo mais profundo a ideologia revolucionária das massas populares, a Ideia Juche. Tomando o povo como o elemento central e o ser humano como o ser fundamental de transformação da realidade material, o Partido esteve na vanguarda de processos históricos de grande complexidade para a Coreia e para todo o mundo. Em 1948, foi a força política motor por trás da fundação da República Popular Democrática da Coreia, nascida em resposta à ocupação estrangeira da parte sul da Coreia. Apenas dois anos depois, em 1950, tomou mais uma vez a dianteira dos acontecimentos ao organizar a resistência colossal do povo coreano contra a guerra de agressão promovida pelos Estados Unidos e seus aliados no período da Guerra de Libertação da Pátria (1950-1953).

Após lograr vitória no conflito contra a maior superpotência global, mesmo sendo a Coreia um país pequeno, o PTC, sob o comando do Presidente Kim Il Sung, conduziu o árduo e longo processo de reconstrução do país, que praticamente se reergueu das ruínas. Cidades que haviam queimado até o chão foram transformadas em lugares vivos novamente, com amplas avenidas, prédios de habitação, escolas, fábricas e fazendas. O PTC fundamentou a economia nacional no planejamento central e estatal, gerenciando os recursos e riquezas do país para o aumento da qualidade da vida das pessoas em todos os âmbitos. Foi assim que, por exemplo, conseguiu abolir a cobrança obrigatória de impostos em 1974, tornando a Coreia o primeiro país do mundo livre de taxações.

A República Popular Democrática da Coreia, mesmo sob dificuldades, avança em seu próprio ritmo autossuficiente.

No plano internacional, o PTC tratou de apoiar ativamente diversos movimentos de libertação em todo o mundo, principalmente na África, Ásia e América Latina. O Partido entregou ajuda política, econômica, militar e diplomática a povos que estavam começando a trilhar os seus próprios caminhos de independência, demonstrando a maturidade de uma organização política que, após alcançar a vitória em seu país, pensou em auxiliar vitórias populares dos povos irmãos.

Durante o grande debate que se deu no seio do movimento comunista internacional diante da instauração do regime revisionista na União Soviética e a traição dos princípios revolucionários, o PTC conseguiu se resguardar de qualquer tipo de “reforma” ou “revisão” de sua linha, não compactuando com os ditames políticos de Moscou e promovendo a luta ideológica ainda mais firme em suas fileiras internas. Até mesmo nos anos 1980, quando estavam em moda palavras como “liberalização” e “abertura”, que nada mais eram do que slogans arranjados para mascarar as mais profundas camadas de golpes contra o povo, o PTC mais uma vez rejeitou qualquer traição a sua essência de dar às massas trabalhadoras o papel primordial da História.

O povo coreano está aglutinado ao redor do Partido

Foi por volta desse período, próximo da virada do milênio, que o PTC, ao comando do Dirigente Kim Jong Il, sob terríveis provações e desgastes internacionais, conseguiu conduzir o povo coreano para longe de um dos mais sufocantes momentos históricos da Coreia, organizando mais uma vez a Revolução para sua nova etapa, quando se começou a implementar o Songun, que deu prioridade ao Exército como força político-militar de defesa da Pátria. O PTC adotou linhas corretas, mesmo a custos grandes, que permitiram ao povo coreano frear qualquer tipo de ameaça externa e impedir o desenrolar de uma nova guerra.

O Dirigente Kim Jong Il conduziu o Partido e o povo coreano nos momentos mais terríveis da história recente da Coreia

Hoje, está na cabeça do Partido o Secretário-Geral Kim Jong Un, que dá prosseguimento à linha do partido das massas, do partido do Juche e do Songun, do partido que tem como única preocupação a vitória total do povo sobre a exploração e a opressão, sempre em defesa da soberania e independência nacional. Carregando no alto a bandeira vermelha pintada com a foice, o martelo e o pincel, que simboliza a união indestrutível das classes populares, o PTC hoje se preocupa em corrigir a todo momento o seu curso, expulsando de suas fileiras elementos e comportamentos hostis e danosos ao socialismo, demonstrando para todo o mundo que a Revolução é um processo longo, complexo e que necessita de grande disciplina, trabalho e fé de seus militantes e participantes.

O Secretário-Geral Kim Jong Un encabeça o PTC, partido invencível das massas populares

A RPDC é um país ainda com dificuldades, sob cerco internacional, bloqueada economicamente por inúmeras sanções e constantemente ameaçada por inimigos muito mais ricos e poderosos, mas, mesmo assim, com o comando do Partido do Trabalho da Coreia, um partido preenchido por operários, camponeses, intelectuais e militares, consegue ultrapassar obstáculos imensos colocados pelos inimigos, enfrentando frontalmente os problemas e adversidades em busca de uma vida mais feliz para o povo, que ativamente se reúne ao entorno do Partido para seguir com a Revolução. Na Coreia, como em poucos ou nenhum outro lugar do mundo, há um Partido totalmente interessado em levantar fábricas, casas, cidades, institutos científicos e campos para colheita, interessado em levantar, enfim, uma civilização solar e socialista.

Nesse 76º aniversário de fundação do Partido do Trabalho da Coreia, cabe aos brasileiros a profunda reflexão do papel histórico dessa organização ímpar e também a discussão acerca da Ideia Juche, ideia que ilumina o caminho do PTC e que foi capaz de fortalecer essa organização ao ponto de passar pelas piores provações políticas sem dar sequer um sinal de capitulação diante da restauração do capitalismo.

Que muitos outros aniversários venham para o PTC e que tragam consigo ainda mais êxitos e prosperidade para o bravo povo da Coreia, que segue resistindo heroicamente a todo tipo de ataque e leva ainda mais alto e radiante o seu estandarte de vitória – a bandeira do Partido do Trabalho da Coreia!

Vida longa ao PTC!
Viva a Revolução Coreana!

Um comentário em “Partido do Trabalho da Coreia: 76 anos de uma organização revolucionária ímpar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s